Opinião

Gestão do hospital: mudança de hábitos

Sim, é preciso mudar hábitos. De gestão e de uso, com toda a certeza. Além de administração, a consciência da sociedade sobre a importância do hospital precisa mudar.

Leia opiniões sobre outros assuntos.

Últimas notícias

Carnaval do DJ: segurança falhou feio

19/02/2017

E então se pergunta: qual tipo de segurança preventiva e ostensiva se planejou para aquele evento? Talvez me engane, mas pelo que ocorreu, da forma como ocorreu e pelo volume de ocorrências, parece que deixaram correr frouxo.

Invasões: crimes, injustiças e impunidade por atacado

18/02/2017

Comecemos pelo começo: a invasão é um crime. Mas há crime pior do que invasão, inserido no seu próprio contexto: os que estimulam ou permitem, de forma consciente e, portanto, criminosa, fato agravado por saber que as áreas eram públicas e de preservação.

PMDB define estratégia de oposição em BC

17/02/2017

Ao final da reunião, o partido deliberou pelo envio de nota à imprensa, esclarecendo que o PMDB/BC não integra o governo municipal atual e que cada projeto apresentado na Câmara de Vereadores deverá ser trazido ao partido para discussão entre os vereadores, executiva e filiados, na primeira segunda-feira de cada mês.

Hospital RC vive o seu drama e busca saída

17/02/2017

Por solicitação da administração municipal, representada pelo vice-prefeito Carlos Humberto, o Sinduscon emprestou sua sede para um encontro de lideranças comunitárias e sociedade civil organizada, na noite desta quinta, 16, para sugerir a criação de um Conselho Gestor para tocar o Hospital Ruth Cardoso.

Reintegração pacífica, mas e os políticos que permitiram, cadê?

17/02/2017

Grande aparato militar, verdadeira operação de guerra, retirou de quatro áreas invadidas de Camboriú 533 pessoas, maioria vinda de outras cidades do Estado.

Educação responde às acusações

16/02/2017

A Secretária de Educação de Balneário Camboriú, em entrevista especial, colocou a posição oficial sobre as denúncias do vereador Nilson Probst (PMDB), na tribuna da Câmara. Segundo ela, professores não foram proibidos de fazer refeições na escola, até porque o que se faz nas escolas é apenas um lanche, num tempo permitido de 15 minutos, tanto para alunos quanto para professores.

Comentário do dia Mais
Entrevista

Mais